Manchetes

Menu

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Magnificat de Maria

MAGNIFICAT DE MARIA - A oração do povo de Deus

A oração é graça de Deus, mas também é uma arte. Aprendamos com Maria a orar com o coração e com a alma:

"Minha alma glorifica ao Senhor,
meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador,
porque olhou para sua pobre serva. Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações,
porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso
e cujo nome é Santo.
Sua misericórdia se estende, de geração em geração,
sobre os que o temem.
Manifestou o poder do seu braço: desconcertou os corações dos soberbos.


Derrubou do trono os poderosos e exaltou os humildes.
Saciou de bens os indigentes e despediu de mãos vazias os ricos.
Acolheu a Israel, seu servo, lembrado da sua misericórdia, conforme prometera a nossos pais, em favor de Abraão e sua posteridade, para sempre". (Lc 1,47-55)

Imagine Maria no momento em que proclamou esta oração. Pense em toda a situação que a envolvia, visualize o lugar onde ela estava. Com todo respeito procure penetrar no interior de Maria Santíssima para sentir o que ela sentia naquele momento.

Presencie como participante do acontecimento no lugar de Maria. Reviva junto com Maria aquele momento. Sinta as vibrações do coração Imaculado de Maria. Revista-se de Maria. Sinta brotar em você a mesma oração de Maria como uma oração sua também.

O Magnificat é oração do povo de Deus, é sua oração também. Some suas palavras a esta oração. Volte para a vida levando consigo as mesmas disposições de Maria.

"O que Maria faria se estivesse em meu lugar?"

O mesmo você pode fazer colocando-se no lugar de Jesus ou de outros personagens bíblicos.
Você pode usar este método com orações bíblicas ou em situações em que Jesus ou algum personagem bíblico se coloca em oração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Slide

Google+ Followers

Oração de São Francisco


Oração de São Francisco de Assis Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que eu leve a fé; Onde houver erro, que eu leve a verdade; Onde houver desespero, que eu leve a esperança; Onde houver tristeza, que eu leve a alegria; Onde houver trevas, que eu leve a luz. Consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois, é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna. Amém