Manchetes

Menu

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Coral da Capela Sistina leva o Evangelho a Coréia do Sul

Em seis cidades e na catedral de Seul onde o Papa rezou pela paz e reconciliação da Península da Coreia

Pontifical chore of the Sixtine Chapel during a holy mass of Holy Father - 25 november 2010

ZENIT

(ZENIT – Roma, 18 Jul. 2017).- O Coral da Capela Sistina concluiu sua primeira turnê de concertos na Coréia do Sul, onde se apresentou em seis cidades, entre elas Daejeon, Gwangju e Busan. E na Catedral de Myeongdong, em Seul, onde o Papa rezou pela paz e reconciliação da Península da Coreia”.

O Cardeal Arcebispo de Seul, Dom Andrew Yeom Soo-jung, observou que era significativo que a apresentação inicial do coral fosse na Catedral de Myeongdong, em Seul. O coro entoou cantos gregorianos e a polifonia de Giovanni Pierluigi di Palestrina, compositor do século XVI.

“Eu desejo que o público sinta o amor e a paz de Deus através das vozes celestiais do coro”, disse o cardeal.

O coro sob a direção do maestro salesiano, Mons. Massimo Palombella conta com uns 50 cantores entre adultos e vozes brancas. “O Coral da Capela Sistina se apresenta fora do Vaticano para divulgar o Evangelho”, indicou Palombella. “Espero que nossas apresentações na Coréia tornem-se uma chance para os católicos coreanos crescerem em sua fé e que nossa presença aqui ajude os não-crentes a conhecer Deus”, disse.

A Conferência Episcopal da Coreia convidou o coral no âmbito da comemoração do terceiro aniversário da visita do Papa Francisco à Coreia do Sul.

Fonte Zenit

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Slide

Google+ Followers

Oração de São Francisco


Oração de São Francisco de Assis Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que eu leve a fé; Onde houver erro, que eu leve a verdade; Onde houver desespero, que eu leve a esperança; Onde houver tristeza, que eu leve a alegria; Onde houver trevas, que eu leve a luz. Consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois, é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna. Amém