Manchetes

Menu

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Cardeal Parolin: ao terrorismo não se responde com o ódio

Declarações do Secretário de Estado da Santa Sede

(ZENIT -. Cidade do Vaticano, 29 Ago. 2017) .- Diante do terrorismo a atitude não deve ser de responder ao mal com o mal e um exemplo deste comportamento o tem dado os pais de Valeria Solesin e Luca Russo, os dois jovens vítimas italianas de ataques terroristas.

O indicou o Cardeal Secretário de Estado da Santa Sé, Pietro Parolin, falando nesta segunda-feira ao margem da apresentação da revista “Le Tre Venezie” dedicado a João Paolo II e Bento XVI; declarações que foram tomadas pelo Osservatore Romano.

Valeria Solesin foi assesinada em novembro de 2015, em Paris no ataque terrorista ao Teatro Bataclan e Luca Russo, um engenheiro de 25 anos, foi atingido em 17 de agosto passado na Rambla de Barcelona. Ambos eram da região italiana de Veneto.

“Expressamos nossa proximidade e nossa tristeza às famílias das vítimas e feridos do ataque jihadista de Barcelona”, escreveram Luciana e Alberto Solesin, os pais da cientista assassinada no Bataclan.

Chiara Russo, a irmã do jovem engenheiro, voluntária para a Cruz Verde, indicou que pediram que os órgãos de seu irmão fossem doados.

Referindo-se a essas atitudes, o cardeal disse: “Eu acho que é o caminho certo para responder ao ódio desses terroristas” porque ” o princípio que a Escritura expressa é não deixar-se vencer pelo mal, mas vencer o mal com o bem ‘”. E na reação à dor que os parentes das duas jovens vítimas da origem do Veneto tiveram “nós tivemos um exemplo concreto”.

Sobre o tema dos imigrantes que chegam na Itália fugindo de países em guerra ou situações de fome e a resistência de recepção de alguns setores político, o secretário de Estado reconheceu: “É difícil entrar em qualquer situação particular se você não tem os elementos Para fazê-lo “, mas” aqui está o princípio da solidariedade. Esses fenômenos vão juntos. Quanto mais se isolarem e tentarem de defender seus próprio interesses, mais difícil é confrontá-los e resolvê-los do modo certo “.

Fonte: Zenit


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Slide

Google+ Followers

Oração de São Francisco


Oração de São Francisco de Assis Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que eu leve a fé; Onde houver erro, que eu leve a verdade; Onde houver desespero, que eu leve a esperança; Onde houver tristeza, que eu leve a alegria; Onde houver trevas, que eu leve a luz. Consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois, é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna. Amém