Manchetes

Menu

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Catedral Nossa Senhora da Boa Viagem - Belo Horizonte

A Catedral Nossa Senhora da Boa Viagem é um templo católicolocalizado na cidade brasileira de Belo Horizonte, Brasil

Desde o começo do século XVIII, o território onde hoje está a Catedral da Nossa Senhora da Boa Viagem foi ocupado por construções religiosas. Na época colonial, no Curral Del Rei, arraial que foi destruído para a construção de Belo Horizonte, havia uma capela de pau-a-pique, que foi substituída, anos depois, por uma matriz maior.

Em 12 de dezembro de 1897, a matriz da Boa Viagem foi destruída e, em 1932, já estava construída a igreja atual.

As construções começaram em 1913, e o estilo escolhido foi o neogótico. Em 11 de fevereiro de 1921, antes que as obras terminassem, a igreja em construção foi transformada em Catedral pela Arquidiocese de Belo Horizonte. Em 1924, foi transformada em arcebispado.

Fachada da catedral.

Nave da catedral.

A Catedral foi consagrada à Nossa Senhora da Boa Viagem, por causa de uma imagem esculpida em madeira, que era a protetora de um barco portuguêschamado "Nossa Senhora da Boa Viagem". Esta imagem está no altar lateral da direita da catedral e mede pouco mais de meio metro de altura. A Catedral é mantida e administrada pela Congregação do Santíssimo Sacramento.

Em 2 de junho de 1977, a Catedral da Boa Viagem foi tombada pelo governo de Minas Gerais.

Fonte: Wikipédia

PADROEIRA  Nossa Senhora da Boa Viagem

Resultado de imagem para Nossa Senhora da Boa Viagem

Origens

A origem do título “Nossa Senhora da Boa Viagem”, dado à Virgem Maria, remonta aos tempos bíblicos quando, por pelo menos quatro ocasiões, Santa Maria empreendeu viagens, obedecendo à vontade do Pai. A Primeira foi na visita que ela fez a Santa Isabel, mãe de São João Batista, como lemos em Lucas 1, 39-80. A segunda foi por causa do recenseamento. Maria, grávida de quase nove meses, viajou de Nazaré, onde morava, até Belém, onde Jesus nasceu. (Lucas 2). A terceira foi a fuga da Sagrada Família para o Egito, fugindo da fúria de Herodes (Mateus 2, 13-15). E a quarta, quando a Sagrada Família voltou do Egito para Nazaré, após a morte de Herodes (Mateus 2, 19-23). Por causa dessas viagens difíceis e cheias de perigo, que Nossa Senhora enfrentou com fé, amor, paciência e coragem, ela recebeu o título de Nossa Senhora da Boa Viagem. A ela os viajantes recorrem pedindo proteção nas viagens. Assim, seu culto se espalhou por todo o mundo.

A primeira legião de devotos no Brasil

No Brasil, a devoção a Nossa Senhora da Boa Viagem foi a primeira a ter um número significativo de devotos. Tal devoção iniciou com os descobridores, que tinham tanta confiança na proteção da “Mãe Santíssima” que, mesmo se ela não os livrasse da morte na solidão do mar, pelo menos ela lhes concederia a paz eterna no céu.

A devoção dos pescadores

Os pescadores a chamavam de “Estrela do Mar”, de quem esperavam orientações sobre os caminhos por onde navegariam com seus barcos; chamavam-na também de “Estrela do Céu”. Eles também gravavam o nome dela nas popas de seus barcos e preparavam o nicho no castelo da proa para ela, esperando que, com sua proteção, nenhum vento fosse forte o suficiente para conseguir apagar a lâmpada pendurada diante dela.

Os primeiros santuários

O santuário mais antigo dedicado à sua veneração foi construído no ano de 1618, na província portuguesa de Arrabia, próxima de Lisboa. Enquanto isso, a primeira capela brasileira dedicada a ela foi construída na Praia de Boa Viagem, em Salvador, Bahia, e resiste até os dias atuais.

A devoção dos cariocas

Em torno do ano de 1663, a devoção a Nossa Senhora da Boa Viagem chegou também ao Rio de Janeiro, onde foi construída uma capela em Niterói, região onde os milagres da santa em benefício dos pescadores já eram conhecidos. Em meados do século XVIII, diversos marinheiros que resolveram ir para Minas Gerais em busca de ouro, levaram a imagem da santa, construindo uma capela em Itabirito, que mais tarde tornou-se paróquia. Depois disso, a devoção à santa chegou em Belo Horizonte, que na época chamada de Curral-Del-Rei, onde foi padroeira da pequena cidade.

A capela em São Bernardo do Campo

Em uma cidadezinha onde hoje se encontra São Bernardo do Campo, foi construída uma capela dedicada à santa. De acordo com relatos de antigos moradores, a capela possuía apenas um portão no formato quadrado e três paredes, sem tetos e em ruínas onde, dentro, havia uma reentrância com a imagem da santa. Como a pequena cidade era situada na estrada que ligava o Planalto de Piratininga ao litoral, todos os viajantes que passavam pelo perigoso Caminho do Mar, paravam na cidadezinha para pedir a proteção da padroeira.

Uma Imagem que resistiu ao tempo

Desde quando foi construída em São Bernardo do Campo, a igreja tem o nome de Nossa Senhora da Boa Viagem. A imagem que era venerada na antiga capela é a mesma que, hoje, recebe as homenagens na tradicional Procissão dos Carroceiros.

A Caixinha da Boa Viagem

Nossa Senhora era venerada por todos que passavam pela cidade. Os fiéis paravam perante a imagem para pedir proteção durante a longa viagem que fariam, para agradecê-la pelas graças alcançadas e para deixar esmolas na “Caixinha da Boa Viagem”. Essas esmolas eram tão abundantes que foram suficientes para pagar parte da construção da antiga Igreja Matriz.

Uma visita ilustre

Os antigos moradores também afirmam que a velha imagem de Nossa Senhora da Boa Viagem foi venerada até pelo imperador Dom Pedro I, quando esteve em missão na cidadezinha situada na província de São Paulo de Piratininga.

Oração a Nossa Senhora da Boa Viagem

“Virgem Santíssima, Senhora da Boa Viagem, esperança infalível dos filhos da Santa Igreja,
sois guia e eficaz auxílio dos que transpõem a vida por entre perigos do corpo e da alma.
Refugiando-nos sob o vosso olhar materno, empreendemos nossas viagens, certos do êxito que obtivestes quando vos encaminhastes para visitar vossa prima Santa Isabel. Em constante crescimento na prática de todas as virtudes transcorreu a vossa vida, até o sublime momento de subirdes gloriosa para os céus. Nós Vos suplicamos, pois, ó Mãe querida: velai por nós, amados filhos vossos, alcançando-nos a graça de seguir os vossos passos, assistidos por Jesus e São José,
na peregrinação desta vida e na hora derradeira de nossa partida para a eternidade. Amém.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Slide

Google+ Followers

Oração de São Francisco


Oração de São Francisco de Assis Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que eu leve a fé; Onde houver erro, que eu leve a verdade; Onde houver desespero, que eu leve a esperança; Onde houver tristeza, que eu leve a alegria; Onde houver trevas, que eu leve a luz. Consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois, é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna. Amém