Manchetes

Menu

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Audiência geral do 13 setembro 2017

O Papa Francisco recordou os momentos principais da sua viagem apostólica à Colombia

(ZENIT – Cidade do Vaticano, 13 Set. 2017).- O Papa Francisco na audiência desta quarta-feira recordou os momentos principais da sua viagem apostólica à Colombia, de 6 a 11 setembro.

“O que chamou a minha atenção -disse o Papa- foi a multidão e os pais que erguiam os seus filhos para que o Papa os abençoasse. Eles o faziam como para mostrar que este é o seu orgulho, a sua esperança. Um povo que faz isso é um povo que tem futuro”.

Indicou também ter sentido a continuidade com os Papas Paulo VI e João Paulo II, que visitaram a Colombia. “Uma continuidade fortemente animada pelo Espirito Santo”.

O Santo Padre lembrou o lema da viagem: “Façamos o primeiro passo” em referência ao processo de reconciliação que a Colômbia está vivendo para sair de meio século de conflito interno: “Com a minha visita, quis abençoar o esforço do povo, confirmá-lo na fé e na esperança, e receber o seu testemunho, que é uma riqueza para o meu ministério e para toda a Igreja”.

O Papa se reuniu em Bogotá, com as autoridades, os bispos do país e também com o Comitê do Conselho Episcopal Latino-Americano (CELAM). Na capital, o Santo Padre falou aos jovens reunidos na praza diante da Catedral: “Força de vida que a própria natureza proclama com a sua exuberância”, afirmou Francisco, recordando que a Colômbia é o segundo país mais rico em biodiversidade.

Indicou que na cidade de Villavicencio foi a jornada culminante da viagem dedicada à reconciliação, com a missa para a beatificação dos mártires Jesús Emilio Jaramillo Monsalve e Pedro Maria Ramírez Ramos, e recordou que a paz é fundada também, e talvez sobretudo, sobre o sangue de tantos testemunhos do amor. Francisco indicou que ouvir suas biografias foi comovente até as lágrimas.

Depois foi a Liturgia da Reconciliação, com as histórias narradas pelas testemunhas que, a partir de suas feridas, com a graça de Cristo saíram de si mesmas e se abriram ao encontro, ao perdão e à reconciliação.

Em Medellín o lema do dia foi a da vida cristã como discipulado: “Quando os cristãos se empenham profundamente no caminho da sequela de Cristo, tornam-se realmente sal, luz e fermento no mundo”, frisou o Papa, dando como exemplo os Lares que acolhem crianças desamparadas e as vocações à vida sacerdotal e consagrada.

Na última cidade da viagem, Cartagena, cidade de São Pedro Claver, apóstolo dos escravos, o Santo Padre falou dos direitos humanos.

“O santo jesuíta, e mais recentemente a Santa Maria Butler, demonstraram que dar a vida pelos mais pobres é o caminho para a verdadeira revolução –aquela evangélica e não ideológica– que liberta realmente as pessoas e as sociedades das escravidões de ontem e, infelizmente, também de hoje”.

O Papa indicou que confiou novamente a Colômbia e o seu povo a Nossa Senhora de Chiquinquirá. “Com a ajuda de Maria, cada colombiano possa dar todos os dias o primeiro passo em direção ao irmão e à irmã, e assim construir juntos, dia após dia, a paz no amor, na justiça e na verdade,” disse.

Zenit

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Slide

Google+ Followers

Oração de São Francisco


Oração de São Francisco de Assis Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que eu leve a fé; Onde houver erro, que eu leve a verdade; Onde houver desespero, que eu leve a esperança; Onde houver tristeza, que eu leve a alegria; Onde houver trevas, que eu leve a luz. Consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois, é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna. Amém