Manchetes

Menu

sábado, 14 de janeiro de 2017

São Pedro Donders

Imagem relacionada

São Pedro Donders, rogai por nós!

Pedro nasceu em 27 de outubro de 1809, no sul da Holanda. Ele era bem doente, e seu irmão mais novo, Martino, deficiente.

Quando tinha seis anos, sua mãe faleceu. Pedro passou, então, a ajudar o pai nas finanças da casa. Sua vocação era o sacerdócio, mas era muito doente, tinha pouca capacidade intelectual e era muito pobre, e não conseguia seguir seu chamado.

Mas Pedro não desistiu, persistiu com ajuda do seu pároco. Conseguiu receber o Seminário, mas era mais empregado do que noviço.

Depois de ser recusado pelos Jesuítas, Redentoristas e Franciscanos, ingressou no Seminário Diocesano.

O prefeito Apostólico do Suriname, na Guiana Holandesa, foi até o Seminário pedir ajuda para uma missão em sua cidade, que vivia situação crítica. De todos, Pedro foi o único a se oferecer.

Em junho de 1841, foi ordenado sacerdote e foi enviado para Paramaribo, região selvagem quatro vezes maior que Holanda.

Lá, se dedicou a formação de catequistas e de crianças. Realizava visitas das pastorais entre os escravos nas fazendas.

Em 1856 recebeu o encargo da pastoral dos enfermos, dedicando-se especialmente aos leprosos de Batávia. Essa missão era muito complicada, ninguém conseguia por mais de um ano, Pedro ficou por trinta.

No final do ano 1886, pela última vez, padre Pedro visitou todos os seus enfermos. Atendeu as confissões de todos e lhes deu a Santa Comunhão. Um ano depois, 14 de janeiro de 1887, morreu de uma grave enfermidade renal. Santamente terminou sua vida e apostolado de oração e trabalho contínuo e de muitos sofrimentos.

O Papa João Paulo II proclamou Beato Pedro Donders em 1982.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Slide

Google+ Followers

Oração de São Francisco


Oração de São Francisco de Assis Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que eu leve a fé; Onde houver erro, que eu leve a verdade; Onde houver desespero, que eu leve a esperança; Onde houver tristeza, que eu leve a alegria; Onde houver trevas, que eu leve a luz. Consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois, é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna. Amém