Manchetes

Menu

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Meditando Ave-Maria

Resultado de imagem para Meditando a Ave-Maria

A Saudação Angélica deve principalmente sua excelência à Santíssima Virgem Maria, a quem ela foi dirigida; à Encarnação do Verbo, para a qual ela foi trazida do Céu; e ao Arcanjo Gabriel, que foi o primeiro s pronunciá-la. A Saudação Angélica resume toda a teologia cristã sobre Nossa Senhora. Nela se encontra um louvor e uma invocação. o louvor contém tudo o que faz a verdadeira grandeza de Maria; a invocação encerra tudo o que devemos pedir a Ela, e o que podemos esperar de sua bondade para conosco.

A primeira parte da Ave-Maria nos foi revelada pela Santíssima Trindade; Santa Isabel, iluminada pelo Espírito Santo, acrescentou a segunda parte. E a Igreja, no prmeiro Concílio de Éfeso, em 430, acrescentou a conclusão, depois de ter condenado o erro de Nestório e ter definido que a Santíssima Virgem é verdadeiramente Mãe de Deus. O Concílio ordenou que, a partir de então, Nossa Senhora fosse invocada como tal, por estas palavras: "Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós, (pobres) pecadores, agora e na hora de nossa morte". A Saudação Angélica contém a fé e a esperança dos patriarcas, dos profetas e dos apóstolos. Ela é a constância e a força dos mártires, a ciência dos doutores, a perseverança dos confessores e a vida dos religiosos. Ela é o cântico novo da lei da graça, a alegria dos Anjos e dos homens, o terror e a confusão dos dêmonios. Pela Saudação Angélica, Deus se fez homem, uma Virgem se tornou Mãe de Deus, as almas dos justos foram libertadas do limbo, as ruínas do Céu foram restauradas, os tronos vazios foram preenchidos, o pecado foi perdoado, a graça nos foi dada, os enfermos curados, os mortos ressuscitados, os exilados repatriados, a Santíssima Trindade apaziguada, e os homens obtiveram a vida eterna. Enfim, a Saudação Angélica é o Arco-Íris, o sinal da clemência e da graça que Deus concedeu ao mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Slide

Google+ Followers

Oração de São Francisco


Oração de São Francisco de Assis Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que eu leve a fé; Onde houver erro, que eu leve a verdade; Onde houver desespero, que eu leve a esperança; Onde houver tristeza, que eu leve a alegria; Onde houver trevas, que eu leve a luz. Consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois, é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna. Amém