Manchetes

Menu

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Meditando o Credo e o Rosário

Resultado de imagem para Meditando o Credo e o Rosário

Sendo um santo resumo e condensação das verdades cristãs, o Credo, ou Símbolo dos apóstolos. É uma oração de grande mérito, porque a fé é a base, o fundamento e o começo de todas as virtudes cristã, de todas as virtudes eternas e de todas as orações agradáveis a Deus. Importa que aquele que se aproxima de Deus pela oração, comece por creer, e quanto mais tiver fé, mais sua oração terá força e mérito em si mesma, e mais glória dará a Deus.


"Creio em Deus": estas três primeiras palavras, que contém os atos das três virtudes teologais - Fé, Esperança e Caridade - têm uma eficácia maravilhosa para santificar a alma e aterrorizar os demônios. Com estas palavras incontáveis Santos venceram as tentações, particularmente aquelas contra tais virtudes teologais, seja durante a vida, seja na hora da morte.

Como a fé é a única chave que nos faz entrar em todos os mistérios de Jesus e de Maria, presentes no santo Rosário. Quando rezamo o Rosário deve-se iniciá-lo recitando o Credo com grande atenção e devoção, e quanto mais nosso fé for viva e forte, mais o Rosário será meritório.
Essa fé deve ser viva e animada pela caridade, isto é, para bem recitar o Rosário é preciso estar na graça de Deus ou na procura desta graça. Importa que a fé seja forte e constantes, isto é, que não se busque na prática do Rosário apena o gosto sensível e a consolação espiritual. Em outros termos, não se deve abandoná-lo por se ter muitas distrações involuntárias no espírito, estranho desgosto da alma, tédio pesado e torpor quase contínuo no corpo. Para bem rezar rezar o Rosário não há necessidade de gosto, nem de consolação, nem de suspiros, nem de arroubos, nem de lágrimas, nem de aplicação contínua da imaginação. São suficientes a fé pura e a boa intenção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Slide

Google+ Followers

Oração de São Francisco


Oração de São Francisco de Assis Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que eu leve a fé; Onde houver erro, que eu leve a verdade; Onde houver desespero, que eu leve a esperança; Onde houver tristeza, que eu leve a alegria; Onde houver trevas, que eu leve a luz. Consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois, é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna. Amém