Manchetes

Menu

terça-feira, 25 de julho de 2017

A oração sempre é gerada dentro do coração

Resultado de imagem para A oração sempre é gerada dentro do coração

A oração sempre é gerada dentro do coração. É uma lenta e maravilhosa gestação que no silencio do amor toma corpo e vida. Mas ela não permanece escondida, às vezes nasce delicada, como uma nascente que, borbulhando vida, fecunda tudo por onde passa. Em outros momentos a oração se manifesta com a violência de um grito que rompe a solidão e pede para ser escutado, acolhido por alguém. Não é o grito seco, vazio do eco que re-envia a voz distorcida. Nem um triste solilóquio no qual a amargura da vida nos leva a escutar a nossa própria voz.


Na fé sabemos que Deus nos ouve e escuta, mas necessitamos dize-lo em voz alta. A oração em voz alta é uma necessidade dor ser humano, é expressar e dar vazão aos sentimentos que não conseguem mais ficar dentro de nós. Na Bíblia e ao longo da história da oração, encontramos essa manifestação com bastante freqüência.
Silêncio e palavras se alternam no processo de diálogo com qualquer pessoa. A própria liturgia exige essa alternância constante.
O sentimento humano é profundo e às vezes impossível de ser traduzido em palavras. Somente suspiros podem revelar o que se passa dentro de nós. Grandes sofrimentos e grandes alegrias não encontram palavras suficientes para manifesta-los. São como um não-sei-que que, perpassando todo o ser, revelam como o homem é mistério para os outros e para si mesmo.
O Evangelho nos transmite como Jesus, nas suas orações e nos momentos mais fortes de sua vida, elevando os olhos para o céu, suspirava...
Na oração devemos procurar manifestar tudo o que sentimos nascer no mais íntimo de nós mesmos. Aproximar-nos de Deus como somos, com nossas cargas emocionais e os sofrimentos que podem vir a perturbar a tranqüilidade do coração.

Frei Patrício Sciadini

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Slide

Google+ Followers

Oração de São Francisco


Oração de São Francisco de Assis Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que eu leve a fé; Onde houver erro, que eu leve a verdade; Onde houver desespero, que eu leve a esperança; Onde houver tristeza, que eu leve a alegria; Onde houver trevas, que eu leve a luz. Consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois, é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna. Amém